Artigos

9 de novembro de 2015

Conheça as principais metodologias na avaliação de empresas

Determinar o valor de uma empresa através de um Valuation (Avaliação de Empresas) é uma tarefa essencial para a concretização dos processos de M&A (fusões e aquisições) e outros trâmites corporativos desta espécie. Isso porque através dela é possível obter cálculos e estimativas, que são usadas como referências para as negociações realizadas. Por conta disso, é conveniente ao empreendedor que pretende investir adequadamente seu dinheiro saber um pouco mais acerca das vantagens e desvantagens de cada uma das principais metodologias para AVALIAÇÃO DE EMPRESAS. Que tal entender mais sobre esse assunto?

Contábil e patrimonial

Os modelos baseados no balanço patrimonial propõem que o valor de uma empresa pode ser estimado, basicamente, a partir dos cálculos contábeis e da avaliação de seus ativos. No caso, há vários métodos a serem aproveitados, como o modelo de valor contábil simples, o de valor contábil ajustado, o de valor de liquidação ou o do valor substancial. Este gênero de avaliação de empresas é extremamente objetivo e de fácil observação empírica, mas determina o valor corporativo de um ponto de vista estático, sem considerar sua evolução no futuro. Não considera também outros fatores não contábeis, como o posicionamento da empresa no mercado, o volume da carteira de clientes, os problemas organizacionais, entre outros.

Pelo valor de Bolsa

Este modelo de Avaliação de Empresas, toma por base o valor de mercado de uma empresa de capital aberto, cujas ações sejam negociadas na Bolsa de Valores Mercantis. O cálculo é mais simples, porque decorre da multiplicação do preço de suas ações pela quantidade de cotas patrimoniais que compõem seu capital social. Vale dizer, contudo, que os riscos e flutuações do mercado fazem com que esses valores variem constantemente, deixando a tarefa bem mais complicada e efêmera. Outro inconveniente é que este gênero só se presta às empresas de capital aberto, além de não chegar a contemplar informações internas, como as relacionadas aos recursos humanos e outras complexidades, mas que podem alterar bastante a estimativa de valor.

Por fluxo de caixa descontado – DCF

A medição, nesta circunstância, está relacionada ao montante de recursos financeiros que se tem expectativa para serem gerados no futuro pelo negócio, em épocas predeterminadas e bem dirigidas. O interesse dessa avaliação de empresas é, portanto, a capacidade da empresa para gerar bons resultados posteriores, o que proporciona uma excelente avaliação de cenários e possibilidades. Cabe dizer, contudo, que ela deixa de lado os custos de financiamentos e os ativos e passivos que não sejam operacionais, ou seja, desconsidera o efeito do endividamento no fluxo de caixa.

Por múltiplos (EBITDA, EBIT, SDE etc)

Essa maneira de se avaliar uma empresa fundamenta-se em uma ideia de comparação relativa por semelhança. O valor é determinado a partir da apreciação minuciosa das transações recentes de fusões e aquisições das companhias que lhe sejam similares quanto ao porte, à atividade, ao patrimônio, entre outros aspectos. Este método de Avaliação de Empresas é o mais simples dentre todos, mas oferece também o maior número de equívocos de avaliação, porque muitas vezes deixa de contemplar as características específicas e perspectivas futuras da empresa que está sendo analisada.

Por opções reais

Esta metodologia de Avaliação de Empresas toma por base de cálculo as opções reais de investimento. Considera também os contratos que dão ao seu titular a escolha por vender ou não determinado ativo da empresa em certa data ou antes dela e a um preço pré-fixado. Por essa razão, este modelo de precificação é bem útil em cenários de grande incerteza ou para determinar o valor de uma operação corporativa, como uma fusão ou aquisição. Todavia, a complexidade de seus cálculos e critérios a torna raramente utilizada no mundo dos negócios. No fim das contas, não há um modelo melhor ou pior, pois o importante é que a sua empresa seja avaliada de acordo com o que é mais adequado para um cenário específico e para as características da atividade, dos ativos e da organização que está sendo avaliada.
A grande dica, para ter certeza mesmo de um bom negócio, é contar com a ajuda especializada de uma empresa intermediadora de compra e venda de empresas. Se você ainda tem dúvidas sobre o valor da sua empresa ou os métodos de uma AVALIAÇÃO DE EMPRESAS (Valuation), deixe nos comentários que lhe ajudaremos.

Para uma lista completa e explicativa sobre todas as metodologias de uma Avaliação de Empresas acesse o link abaixo:

ftaquisicoes.com.br

Acesse nosso artigo sobre Múltiplo de Ebitda ou sobre Fluxo de Caixa Descontado

Autor: Franklin Tomich

Graduado em Engenharia Elétrica pelo Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais, com MBA em Mercado de Capitais e Derivativos pela PUC, com MBA em Marketing Estratégico pela Univ. FUMEC, Finanças pela IBS e IFRS Tributário e Societário pela FGV. Membro de honra do ISoBL (International Society of Business Leaders) e afiliado ao IBBA (International Business Broker Association).
Especialista em assessoria a M&A (Fusões e Aquisições) e Private Equity, atua na empresa FT Aquisições, afiliada ao grupo americano Sunbelt Network International, empresa líder mundial do setor de intermediação de empresas e participações.

 

Voltar para todos artigos

Confira nossas oportunidades de negócios



Confira também nossas publicações e posts exclusivos

maderamadera

MadeiraMadeira recebe novo aporte de aproximadamente R$ 1bi e vira novo “unicórnio” brasileiro

stellanis

Stellantis, empresa criada pela fusão (M&A) de dois gigantes com 1,1 trilhão de reais em faturamento

M&A CENTAURO

Centauro conclui compra da Nike no Brasil em uma operação de M&A de 1 bilhão.

huawei

Huawei vai vender unidade de celulares por US$15 bi (M&A)